quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Relato de prática: Adaptação e Acolhimento na creche

Maria Cristina dos Santos




Sejam bem-vindos!

2010 cheio de paz, saúde e muito trabalho


Ufa! Janeiro foi um mês trabalhoso, colocar a casa em ordem, manutenção do prédio, levantamento de livros, CDs, dvds, brinquedos e para ajudar levantamento dos bens patrimoniais da Secretária do Bem Estar...Isto é uma longa história, ficará para outra vez.
Para contextualizar essas fotos foram tiradas do telhado, está é uma pequena parte da população que atendemos, a grande maioria fica em bairros mais distante. Quase cinquoenta por cento das nossa crianças faz uso de transporte escolar para chegar até aqui.
O Centro de Educação Infantil Jardim Rodolfo Pirani se localiza na zona leste de São Paulo, faz parte da Diretoria de Educação de São Mateus, numa área de exclusão social.

Este é o nosso parque visto de cima




Nosso estacionamento









Rua enfrente ao CEI




Entendemos que o periodo de acolhimento é  um cuidado inerente ao projeto educativo da instituição e um indicador de qualidade do serviço prestado pela instituição.
Ao meu ver nossa comunidade comprou a ideia.
Foi   bacana  ver mães que já tiveram seus filhos na instituição fazendo campanha "Pró Acolhimento".
Em nosso Projeto Político Pedagógico consta o Acolhimento dos educadores, famílias e crianças. Hoje não é mais um projeto e sim processo, independe do grupo gestor ou professores que estejam na unidade.
No Centro de Educação Infantil Jardim Rodolfo Pirani tem acolhimento. Isto é ótimo, pois dá uma segurança para todos.
Este ano houve  mudanças significativas na equipe educadora, vários professores novos, duas novas ATE (Auxiliar Técnico Educacional) e coordenadora pedagógica  Simone que estava me substuindo durante minha licença saúde.
Gostei muito do que vi até este momento. Pessoas comprometidas com a educação dos pequenos, com vontade de aprender, a grande maioria nunca haviam passado por um processo de acolhimento.

Acolhimento da equipe educadora


 Maria Cristina e a professora Sônia

Fiz questão de participar do acolhimento da equipe educadora, conhecer os novos membros.

Professora Lina Asano,  Simone Trotti (coordenadora pedagógica que está me substituindo) e o professor Sebastião dos Santos



Professora Viviane Fidelis uma de nossas novatas e a Simone Trotti, coordenadora pedagógica

Trocando experiências: professora Shirley Estela Benicio, Berçário II (composto por crianças entre 1 a 2 anos)  e professora Valéria Cristina Pereira Paulino, Berçário I (composto por crianças entre 1 a 2 anos) ambas no período da tarde.
 Professora Maria José Anacleto Silva de Paula, Zezé (blusa vermelha) acolhendo a nova professora Silmara Ferreira Silva
Professora Audenora Ferreira Espinola e nossa diretora Maria Goreti Sousa Marinho
Professoras Shirley Estela Benicio, Sandra da Costa Damiani e Audenora Ferreira Espinola
Professoras Maria José Anacleto Silva de Paula, Zezé e Rosangela Maria dos Santos ambas estão na unidade a bastante tempo e participaram ativamente do processo de implantação do acolhimento.



Reunião Pedagógica

Após o acolhimento da equipe educadora damos início a primeira reunião pedagógica onde apresentamos um esboço do nosso Projeto Politico Pedagógico: Nossa missão, concepção de criança e educação; e os Projetos institucionais, dando ênfase no acolhimento, neste momento os professores mais antigos de casa fazem a diferença expondo a construção deste projeto. 



Iniciamos com uma leitura compartilhada, este ano escolhemos um poema de Cora Coralina,  Saber Viver, a escolha não poderia ser mais oportuna.


Saber Viver






Não sei... Se a vida é curta
Ou longa demais pra nós,
Mas sei que nada do que vivemos
Tem sentido, se não tocamos o coração das pessoas.

Muitas vezes basta ser:
Colo que acolhe,
Braço que envolve,
Palavra que conforta,
Silêncio que respeita,
Alegria que contagia,
Lágrima que corre,

Olhar que acaricia,
Desejo que sacia,
Amor que promove.
E isso não é coisa de outro mundo,
É o que dá sentido à vida.
É o que faz com que ela
Não seja nem curta,

Nem longa demais,
Mas que seja intensa,
Verdadeira, pura...
Enquanto durar

As apresentações

Professora Francisca Rodrigues Ezequiel , a Kika para nós. Uma de nossas fadas madrinhas.


Contamos um pouco da história do processo de acolhimento e aproveitamos para falar sobre a avaliação do ano anterior onde o grupo de educadores que participaram do processo havia enfatizado que os pais ficaram muito ociosos, sabíamos que era um problema, mas como resolver?
Por conta de um problema ocorrido no berçário II em 2009, fui obrigada a me desdobrar para elaborar atividades para que os pais entendessem a importância do acolhimento.
Pus em ação o "plano B".
Os pais assistiram e discutiram em dias diferentes dois curtas: Adaptação e Acolhimento na Educação Infantil – Creche Carochinha – Universidade de São Paulo (USP) -  Ribeirão Preto, onde a coordenadora da divisão de creches, Professora Maria Clotilde Barros Magaldi,  apresenta a importância do mesmo e Vida Maria, uma animação do diretor Márcio Ramos de 9 minutos que  acompanhamos Maria durante o seu trabalho no sitio onde vive. Vai dos 5 aos 45 anos e passa todo seu estilo de viver para sua filha Lurdes.





As discussões foram importantes para que eles percebessem a importância daquele momento. Partindo do princípio que a entrada na escola pode gerar estress em todos os envolvidos nesse processo, criança, família e educadores.
Deu certo, porém foi desgastante para a coordenadora que precisou ficar na instituição durante todo o período de funcionamento
Quais estratégias utilizar?
Este ano não podíamos cometer os mesmos erros do ano passado, novos tudo bem!


Leitura do texto: Adaptação e Acolhimento: um cuidado inerente ao projeto educativo da instituição e um indicador de qualidade do serviço prestado pela instituição da Cisele Ortiz em pequenos grupos.
Em  nossa instituição esta claro que a equipe educadora são todos os presentes no processo educativo indiferente a função que exerce na instituição, na foto acima estão envolvidos no grupo: professores, auxiliar técnico escolar e uma representante da equipe de alimentação.

Após a leitura do texto  retomamos a discussão inicial onde surgiram as propostas para o acolhimento das crianças e famílias.
  •  Os pais entraram na sala juntamente com as  crianças por uma hora. Partindo deste pressuposto os professores precisariam planejar atividades que contemplasse os acompanhantes (muitas vezes os pais não tem como acompanhar a criança por questão de trabalho, no ato da matricula pedimos sempre que a criança venha acompanhada de uma pessoa que ela tenha estabelecido um relação afetiva de confiança).

  • Outro combinado estabelecido  foi que se o pai/mãe ou acompanhante achasse necessário retornaria a sala para ver se estava tudo bem com a criança,da mesma forma  o professor que senti-se necessidade solicitava que o acompanhante da criança retornar para acompanhar a atividade da criança.

  • A equipe gestora, juntamente com a equipe de apoio deveria planejar atividades para os acompanhantes em média de uma hora.

  • Depois da atividade o acompanhante deverá retornar a sala para ajudar na alimentação, assim os pais conheciam a rotina da unidade e  cria a possibilidade dos professores criarem um vinculo afetivo com as crianças de uma forma tranquila.
Organização dos espaços

Após levantar estes tópicos a equipe de professores se dirigiram para suas salas para organizar o espaço.

Organização dos espaços - MGA Professor André e Zezé

Organização do espaço: MGB Professora Lina e Rosangela

Organização do espaço BII

Organização BII

Organização do espaço MGD - Profesora Marly

Organização de espaço MGD Professora Kátia

Organização de espaço: BI Professora Vilma

Organização de espaço BI Professoras: Sandra e Valéria

Organização de espaço Professora Vilma


Depois de um bom tempo as salas deixam de ser um espaço e se tornam um ambiente acolhedor.

Organização do espaço BII

Organização do espaço BII

Organização do espaço BII

Organização do espaço BII

Organização do espaço MGD

Organização do espaço MGA


Organização do espaço MGC


Segundo dia reunião de Pais e equipe educadora



Apresentação da equipe educadora


Apresentação do curta: Rotina do CEI Jardim Rodolfo Pirani







Início das atividades de acolhimento da família e das crianças


A parceria com as família das crianças é fundamental - Nicoly BII

Alimentação realizada o mais próximo possível das práticas sociais vigentes

Cuidar de si, de outros e do ambiente

Como sua filha come em casa? Hora do professor observar.

Educar e cuidar são dimensões indissociáveis de toda ação educacional
Criar um ambiente de cuidado que considere as especifidades da faixa etária


O direito da criança a brincar, como forma particular de expressão, pensamento, interação e comunicação infantil infantil



Conviver, brincar sozinho ou em grupo
Conhecer o espaço e os profissionais que cuidaram e educaram seu filho faz toda diferença.



Hora do professor observar e registrar o jeito de ser de cada criança




Conhecer os espaços criar vínculo afetivo com os educadores


Confiar em um adulto que até este momento é um estranho - Professor André



Oficina para os pais

Uma das atividades elaboradas pela equipe de apoio foram as oficinas. Dentre as educadoras que chegaram na instituição fomos contemplados com a educadora Quitéria da Costa Campanaro que fez os encaminhamentos das oficinas.
Foram propostas diferentes atividades: Construção de Porta-brinquedo a partir de caixas de laranja.

Fuxicos e croché para cortinas para divisão de espaços



Biblioteca móvel feita a partir de caixa de laranja encapadas com tecidos

Confecção de mobiles

Olha que linda que está ficando!




A carta

A proposta é que cada acompanhante escreva uma carta para a criança, durante o ano os professores lêem a carta durante uma roda de leitura e no final do ano elas voltam para casa em seus portifólio. Está atividade faz parte das diretrizes do projeto institucional, pois foi realizada durante dois anos e deu certo.







Este é sempre um momento especial não tem jeito de ficar em diferente é uma carta para o meu filho


12 comentários:

GESSILDA disse...

Estou muito feliz de fazer parte desta história que se inicia com organização,trabalho criativo, muito carinho e respeito à nossas crianças e comunidade.Essa nova experiência do acolhimento ampliou minha forma de trabalhar. Abraço!

Anônimo disse...

Recebi um e-mail e nele constava o blog...entrei e achei muito interessante a proposta de acolhimento entre todos da comunidade escolar, as idéias da árvore, da carta, da caixa de brinquedos...PARABÉNS!!!

Débora disse...

Me sinto orgulhosa de participar desta familia linda que se chama Educação....São tantas anos na estrada e quando me deparo com as considerações e as fotos que vi aqui sei que vale a pena continuar sonhando, que vale a pena trilhar esta estrada,pois nela há muitos que só passam,sem deixar rastros,enquanto outros deixam suas marcas pra sempre.
Parabéns "EQUIPE DE EDUCADORES DO CEI RODOLFO PIRANI".
DÉBORA(CEI CEU SÃO RAFAEL)

Célia Regina disse...

Tenho acompanhado o seu trabalho estou muito feliz por vc abranger a realidade do CEIs com tanta propriedade, por isso peço uma ajuda para o meu TCC da pós graduação em Psicopedagogia que será sobre o período de adaptação e aconchego no CEI da Prefeitura de São Paulo, se possível me mande alguns autores e artigos que tratam sobre o assunto.
Desde já agradeço. Abraços

Para além do cuidar Educação Infantil de 0 a 5 anos disse...

Célia,

Mande um emaial para que eu possa te passar a bibliografia, creio que no próprio blog tenha em edições dos anos anteriores

Beijos

Cris

thais padella disse...

Parabéns pela proposta de acolhimento com a efetiva participação dos pais,acredito que assim, estarão valorizando muito mais o ambiente escolar.

Anônimo disse...

Oi Bete , Oi Cris

Agradeço pelos e-mail e dicas no Blog PARA ALÉM DO CUIDAR, sempre faço minhas visitinhas pois admiro o trabalho de qualidade de sua equipe. Sou Coordenadora Pedagógica iniciante da rede na DRE Capela do Socorro no CEI Parque Cocaia. Utilizei a idéia do Projeto de Adaptação no início do ano na minha unidade e deu super certo, as professoras participaram do processo de planejamento e no preparo da escola para receber as crianças, os pais em sua maioria entenderam a proposta e as crianças se adaptaram mais rápido do que o esperado, pena que não tirei fotos, erro de iniciante, sei q o registro visual é super importante.
Mais uma vez obrigada por partilhar.

Abçs
Marly Gonzaga

ZezeFontes disse...

Fico feliz quando vejo na prática a interação entre profissionais, pais e crianças sobretudo num momento tão especial que é o de adaptação nas instituições de educação infantil, neste caso, na creche. Sou professora do curso de Licenciatura em Educação Infantil pela Universidade Federal de Viçosa e enfantizamos muito a importância dessa prática que sem dúvida, eleva a qualidade do trabalho e valoriza a instituição como um todo. Parabéns a todos os profissionais!
Maria José de Oliveira Fontes
zezefontes@gamil.com
@ZezeFontes

Anônimo disse...

Se este acolhimento fosse adotado por todas unidades de educação, que maravilha seria.... a integração de todos faz a diferença, os educandos se sentem mais seguros.

Vera Araujo

Para além do cuidar Educação Infantil de 0 a 5 anos disse...

Verdade sermos recebidas desta forma e poder receber as crianças com o mesmo cuidado seria muito bom!!!Se pudessemos usar o nosso tempo de uma forma mais humana isso poderia ser possível.

Graciete Pereira da Silva

CECI ALCÂNTARA disse...

Amei tudo. Já trabalhei com berçário e agora com Maternal I. Parabéns pelo trabalho.

REGINA disse...

POR ACASO ESTAVA, PROCURANDO ALGO SOBRE ADAPTAÇÃO E ME DEPAREI COM SEU BLOG E COM SUA ESCOLA, ACHEI TUDO MARAVILHO, TBM ME PARECE QUE VC TEMUMA EQUIPE BASTANTE ENVOLVIDA NO PROCESSO, PARABEMS

REGINA